25 de ago de 2016

A revoltante realidade da saúde pública no Maranhão


O Jornal Nacional mostrou para todo o Brasil, o sofrimento, humilhação e tratamento desumano dispensado aos pacientes que fazem hemodialise no Maranhão. As imagens são chocantes e degradantes e mostram de forma clara e inequívoca o descaso do governo Flávio Dino com a saúde pública além do desrespeito ao preceito constitucional da dignidade da pessoa humana e a negação dos direitos básicos do cidadão. Este é o jeito comunista de governar.

Em nota a deputada Andrea Murad afirmou que se a gestão de Flávio Dino fosse mais eficiente o Centro de Hemodiálise de Chapadinha já estaria funcionando, uma vez que os recursos estavam assegurados, o projeto estava em plena execução, mas, infelizmente, por pura incompetência, o governador não consegue dar prosseguimento às obras asseguradas com recursos do BNDES.


A parlamentar enfatiza que foram disponibilizados R$ 13,4 Milhões para a construção de SETE centros regionais em grandes cidades do Maranhão (Coroatá, Chapadinha, Imperatriz, Pinheiro, Santa Inês, São José de Ribamar e São Luís). Em vários destes municípios, as obras foram iniciadas e paralisadas logo que o governador assumiu. 
Antes de deixar a pasta, o ex-secretário Ricardo Murad deixou 33 módulos de hemodiálise no Hospital Dr. Carlos Macieira e ainda aparelhos avançados para hemodiálise contínua, de curta duração, para pacientes na UTI, que não suportariam um procedimento tradicional.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contador

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo