Contador

Felipe Camarão pede ao PT expulsão do presidente do SINPROESEMMA após conluio para retirar R$ 400 milhões dos professores maranhenses

Felipe Camarão e Raimundo Oliveira.
Em meio à controvérsia sobre a defesa do SINPROESEMMA quanto ao desconto de 15% dos precatórios do Fundef dos professores do Maranhão para custear honorários advocatícios (relembre), o secretário de Estado da Educação e vice-governador, Felipe Camarão (PT), solicitou à direção estadual do Partido dos Trabalhadores no Maranhão a expulsão de Raimundo Oliveira, presidente do sindicato, de seus quadros.

Camarão afirmou que Oliveira "não representa nem os profissionais da educação, muito menos o partido dos trabalhadores", conforme postagem nas redes sociais. Oliveira enfrenta forte oposição de colegas professores ao defender abertamente o pagamento aos advogados contratados pela entidade. Ele alega que o desconto de 15% foi aprovado em 19 assembleias regionais, embora algumas dessas tenham negado essa informação.

Além disso, o Ministério Público do Maranhão, juntamente com o próprio secretário e vice-governador, está movendo esforços para reverter a decisão do ministro Nunes Marques, do STF, que autorizou o bloqueio de mais de R$ 400 milhões dos profissionais de educação para pagar os advogados contratados pelo SINPROESEMMA.

Do Imirante.

Postar um comentário

0 Comentários