10 de jul de 2019

Padrasto mata enteada de um ano e dez meses de idade, em Turilândia


No dia ontem, 09, por volta das 21h00, a adolescente N.E.R., de 16 anos de idade, e seu companheiro Ernildo Sousa Silva, de 18 anos de idade, compareceram ao Hospital de Turilândia/MA, com o corpo da criança Kethelyn Rodrigues, de 1 ano e 10 meses de idade, filha dela e enteada dele.

Segundo o casal, a criança teria caído de uma rede e batido a cabeça no chão. Entretanto, o médico plantonista constatou que o corpo da criança apresentava marcas, no pescoço, compatíveis com sinais de esganadura, ocasião em que acionou o conselho tutelar e a polícia militar, sendo o casal conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Santa Helena/MA, por volta das 22h30, para prestar os devidos esclarecimentos.

Ao tomar conhecimento do caso, o Delegado Regional de Pinheiro, Dr. Oséias Cavalcanti, determinou que o corpo da criança fosse encaminhado, imediatamente, para o Instituto Médico Legal de São Luís, para que fosse realizado o exame cadavérico pelo médico legista competente. 

Ainda durante a madrugada, um investigador de polícia civil se dirigiu ao IML, em uma ambulância municipal, com o corpo da criança, o qual foi submetido a exame necroscópico, tendo o respectivo laudo pericial atestado como causa da morte a asfixia por esganadura.

Inicialmente, o casal negou, veementemente, a prática de qualquer ato de execução do homicídio da criança, mas, diante das fortes e inequívocas evidências, o padrasto da criança acabou por confessar o crime, durante seu interrogatório, na Delegacia Regional de Pinheiro.

Segundo o autor do crime, ele resolveu ceifar a vida da criança, apertando o pescoço dela com as mãos, enquanto ela dormia na rede, porque não gosta do pai dela e tem ciúmes da sua companheira, mãe da criança.

Segundo a mãe da criança, no dia de ontem, por volta das 12h00, uma amiga sua falou que a criança parecia muito com o pai dela. Ouvindo isso, Ernildo não gostou e disse que a mãe da criança não deveria ficar falando do seu ex-namorado, ocasião em que se travou breve discussão, e, após alguns minutos, ela foi para a casa da mãe dela, que fica nas proximidades de sua residência, no Povoado Bacabeira, em Turilândia.

Por volta das 13h, a mãe da criança retornou para a sua casa e acreditou que ela estava dormindo, na rede. Por volta das 17h30, a adolescente estranhou o fato de a criança estar dormindo muito e, ao se dirigir até ela, encontrou-a, suspirando, ainda com vida, ocasião em que Ernildo alegou que a criança havia caído da rede, razão pela qual possuía algumas escoriações visíveis.

O casal, então, levou a criança para o Hospital de Turilândia, onde ela já chegou sem vida. Ernildo Sousa Silva, padrasto da criança, foi autuado em flagrante delito, pelo cometimento do crime de feminicídio qualificado pelo motivo fútil, pelo emprego de asfixia e pela impossibilidade de defesa da vítima, podendo pegar até 30 anos de reclusão.

Após a lavratura do procedimento, o autor do crime foi conduzido para o Presídio Regional de Pinheiro, onde permanecerá, à disposição da Justiça.

A mãe da criança prestou depoimento e foi liberada, visto que, preliminarmente, a autoridade policial competente não vislumbrou nenhuma participação dela no cometimento do crime. Entretanto, as investigações continuam, no sentido de esclarecer os fatos em toda a sua extensão.


Via Vandoval

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contador

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo